Dulce Castro

A Profissional

Vários cursos de atualização. Participação e apresentação em Congressos.
Curso de Direito Aplicado a Tradução Jurídica – Prof. Márcio R. Gomes
Inglês Jurídico – Georgetown University Law Center
Tradutora Pública Juramentada e Intérprete Comercial – Concurso Público/2009.
Duplo Bacharelado em Letras, Inglês e Alemão – UFMG – Especialização em Ensino de Línguas Estrangeiras.

Presidente da Associação de Tradutores Públicos e Intérpretes Comerciais do Estado de Minas Gerais – 2010-2017

Idiomas para Tradução / Versão / Interpretação
Português para o inglês e vice-versa em diversas áreas, tais como: corporativa (recursos humanos, saúde; comunicação, responsabilidade social, entre outros), informática, engenharia, medicina, sociologia, cotidiano, música, propaganda, psicologia, artes, internet e outras.

Consultoria linguística aplicada à tradução/versão juramentada.

PERGUNTAS FREQUENTES

O que é uma tradução?
Genericamente, trata-se de passar um texto de um idioma para outro.

O que é uma tradução juramentada?
É traduzir um documento oficial de uma língua estrangeira para o idioma vernáculo, no nosso caso o português. Quando se traduz um documento oficial escrito em português para um idioma estrangeiro, trata-se então de uma versão juramentada.

O que é uma versão?
É traduzir um texto do português para a língua estrangeira.

O que é língua-fonte?
É a língua a partir da qual estamos traduzindo, ou seja: se o texto original estiver em inglês, esta é a língua-fonte. Se estiver em português, então português será a língua-fonte.

O que é língua-alvo?
Inversamente, a língua-alvo se refere ao idioma para o qual estamos traduzindo.

Um esquema bem claro a seguir:

Português > Inglês: língua-fonte (português) para língua-alvo (inglês) = versão;

Inglês > Português: língua-fonte (inglês) para língua-alvo (português) = tradução.

O que é interpretação?
É a tradução e/ou versão oral em tempo real. Exemplo: congressos, conferências, seminários, palestras, apresentações, etc.

Existem dois tipos de interpretação:

Simultânea: feita em cabines com fones de ouvido. É feita simultaneamente ao discurso que está sendo feito. Os ouvintes fazem uso de fones de ouvido.

Consecutiva: o palestrante fala uma frase e aguarda até que o tradutor a tenha traduzido para o(s) ouvinte(s). Geralmente feita em som ambiente.

O que é uma adaptação?
Livre: É quando se traduz livremente, usando o original apenas como fonte de inspiração. O tradutor passa a ser considerado o autor do novo texto.

Vou falar de música, que quase todos conhecem melhor:

Chico Buarque usou a música Mack the Knife (música de Kurt Weill e letra de Bertold Brecht) da Ópera dos Três Vinténs e fez uma letra diferente para O Malandro, em sua Ópera do Malandro. Chico Buarque é o autor dessa letra.

Em contrapartida, Carlos Rennó se inspirou fielmente na Let’s do it, de Cole Porter e fez a brilhante tradução Façamos, que Chico Buarque canta com Elza Soares.

Outro exemplo de tradução brilhante é a de I just called to say I love you (Stevie Wonder). Gilberto Gil fez Só chamei porque te amo. Gil traduziu o texto e o aculturou para que o sentimento das celebrações brasileiras se aproximasse das celebrações da cultura americana. Um trabalho genial.

São muitos os exemplos desse tipo de tradução, a literária ou poética, que considero das mais difíceis e desafiadoras, e, no entanto, costumam ser as mais prazerosas!